05/03/2014

Porque fiquei decepcionado com o Galaxy S5

Admiro muito os aparelhos da Samsung. Apesar do excesso de plástico, são bem projetados e construídos. E prova dessa admiração é que já tive vários aparelhos dela e o meu smartphone atual é um Galaxy Note 3. Mas tenho percebido que ela tem "tirado o pé" na questão da ousadia e inovação em seus novos lançamentos.

O primeiro sinal disso veio com o Galaxy S4, que tinha vários recursos, alguns interessantes e outros nem tanto, mas a sua aparência era muito parecida com a do SIII. Mas como escrevi, o hardware e recursos evoluíram bastante. O segundo sinal foi o Galaxy Note 3, que ganhou uma tela full HD, hardware melhor, mas não evolui tanto assim em relação ao Galaxy Note II.

E agora, eis que surge o Galaxy S5, com aparência quase idêntica ao S4 (muitos não vão saber nem distinguir um do outro) e que teve poucas mudanças.

O Galaxy S5 tem um hardware mais potente e vem com um chipset Snapdragon 801 (CPU quad Krait 400 de 2,5GHz) e GPU gráfica Adreno 330 (com um clock maior do modelo que vem no Snapdragon 800). Até aí, é um hardware mais do que potente (embora o Xperia Z2 já virá com o Snapdragon 805, ainda mais poderoso), mas ele virá com "apenas" 2GB de memória RAM. Se o Galaxy Note 3, da própria Samsung, estreou o segmento de aparelhos com 3GB de RAM, por que o S5 não veio com essa quantidade de memória?


Ele virá com uma câmera de 16MP, com maior velocidade de foco, gravação em 4K (UHD) e também em câmera lenta. Terá um monitor de batimento cardíaco próximo à câmera traseira e um leitor biométrico, para desbloqueio do aparelho (que infelizmente é inferior ao sensor touch ID do iPhone 5S). E só.

No mais, ele é idêntico ou até inferior ao Galaxy Note 3. Nada de um chipset mais potente (poderia vir com um Snapdragon 805), bateria com maior autonomia ou um leitor de íris (isso sim seria surpreendente!). A Samsung poderia até mesmo ter dado uma mexida maior no visual...

Talvez, com toda aquela história de reconhecimento por íris, tela com resolução 2K (QHD) e processador de 64 bits tivessem aumentado demais minhas expectativas. Mas o fato é que, mesmo representando uma evolução, não consegui deixar de ficar decepcionado com o S5... Só que acho que não fui o único, pois li muitos relatos de pessoas com a mesma sensação.

Seria por isso que já estamos ouvindo relatos de uma segunda versão do Galaxy S5, com design premium em alumínio, tela com resolução maior, processador octa core de 64 bits e 3GB de RAM? Essa versão chegaria ao mercado já em maio, um mês após a chegada do S5 normal. Mas se o S5 já deverá chegar no Brasil custando muito caro, imagine quanto custará a versão S5...

Ainda não sei qual será o impacto disso tudo. Talvez só descubramos no lançamento do S5, quando veremos o desempenho em vendas do aparelho. Mas eu, que sempre tive um Galaxy Note e "me coçava" para trocar por um Galaxy S no lançamento, dessa vez senti nem sequer "um comichão"...


5 comentários:

  1. quantas pessoas fazem parte do Brasiligeeks?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos em quatro... Mas o único que tem coragem de escrever sou eu! Os demais ajudam na edição, comentários e no marketing do site e do canal do Youtube.

      Excluir
  2. O pessoal só critica porque é Samsung. Queria ver se fosse mais um iPhone com mudanças pequenas se iam criticar a Apple...

    ResponderExcluir
  3. Vai ter Review o unboxing do Galaxy S5?

    ResponderExcluir