09/07/2013

Galaxy Grand Duos - Review

Não faz muito tempo que smartphones dual chip invadiram o mercado. Começou com aparelhos mais simples e baratos, como o LG Optimus Net Dual e o Galaxy Y Duos. Depois foi a vez de aparelhos mais sofisticados, como o LG L5, Atrix TV e Galaxy S Duos. Mas, com menos de 1GB, processador single core e tela de 4 polegadas, ainda tinham características bem abaixo dos top.

Se o nosso mercado ainda não recebeu um aparelho top de linha com suporte ao dual chip, pelo menos a distância tem se tornado cada vez menor. E o Samsung Galaxy Grand Duos é um dos responsáveis por essa façanha: Com processador dual core, 1GB de RAM e tela de 5 polegadas, ele já é superior ao Galaxy SII, que um dia já foi o aparelho mais poderoso do mundo.


Características
  • Tela LCD TFT de 5", 480x800 (dens. 187ppi), 16 milhões de cores
  • Processador ARM Cortex A9 dual core 1.2GHz
  • GPU Broadcom VideoCore IV
  • 1GB RAM, 4GB de mem. interna+slot micro SD
  • Android 4.1.2
  • Câm. tras. 8MP c/ auto foco e flash de led, filma em 1080p
  • Câm. frontal 1.9MP
  • suporte a dual sim stand by
  • 3G HSPDA até 21Mbps
  • wi-fi a/b/g/n, bluetooth 4.0
  • A-GPS, Glonass, rádio FM
  • bateria de 2100mAh
  • dimensões: 143.5 x 76.9 x 9.6 mm
  • peso: 162 gramas

Design

É bastante difícil distinguir o Galaxy Grand de outros aparelhos da Samsung: todos eles seguem o mesmo estilo do Galaxy SIII, com poucas modificações. Tudo é muito semelhante, como o posicionamento da câmera frontal, o botão físico central cercado pelos botões capacitivos de configurações e voltar, o botão liga/desliga do lado direito, os botões de volume no lado esquerdo, o conector para fone de ouvido no padrão P2 em cima e a saída micro USB na parte inferior.
Na traseira está a câmera de 8 Megapixels (!) no centro, com o led de flash à esquerda e a saída de som à direita. Exceto pela tela frontal de vidro (sem gorilla glass), o corpo do aparelho é todo feito em plástico.

Tela

Exceto pelo tamanho (5 polegadas), as características da tela não chamam a atenção. A resolução é de apenas 480x800 pixels, relativamente baixa para esse tamanho de tela. A densidade de pixels até que não é ruim (187ppi).

A tela é do tipo LCD, usando a tecnologia TFT e possui 16 milhões de cores. Como mencionado antes, essa tela não possui proteção Gorilla Glass, porém não parece ser frágil.

As características revelam que é uma tela comum e que não é de se esperar uma imagem com qualidade muito boa. Porém na prática acontece justamente o contrário: a qualidade das imagens são surpreendentes, apresentando uma boa definição, ótimo contraste e nível de cores. É realmente surpreendente como a tela é bonita, a ponto de parecer que ela tem uma resolução maior do que realmente tem. Somente ao se aproximar da tela é que percebemos os pixels.

Tela: bom nível de detalhe dos ícones e das letras
Processamento/ Desempenho

O Grand Duos possui um processador ARM Cortex A9 dual core de 1.2GHz, acompanhado de 1GB de RAM. Não é a última palavra em desempenho, mas esse conjunto ainda dá conta muito bem do sistema e dos apps. A GPU gráfica é uma VideoCore IV, da Broadcom, cuja performance eu desconhecia até então, mas pelos testes gráficos ela parece ser muito boa.

O Hardware do Grand Duos é mais do que suficiente para rodar o sistema sem engasgos em pelo menos 80% do tempo. Porém, me parece que a Samsung otimizou bem o Android (que está na versão 4.1.2), pois raramente o aparelho apresentou engasgos e no geral a interface está muito fluída.

Seja durante as transições de tela, no acesso aos menus, na abertura dos apps ou em qualquer outra situação, o Grand Duos sempre se mostrou bastante ágil e rápido. Algo bastante curioso é que, enquanto gravava o vídeo-review do aparelho e fui rodar um teste de desempenho, abri o gerenciador de apps para fechar todos os aplicativos que estavam abertos, evitando prejudicar o resultado. Havia simplesmente 30 apps em segundo plano, incluindo os pesados Chrome, Gmail, AVG, Vídeo Player e Câmera. E mesmo assim, o sistema funcionava de maneira suave, apresentando praticamente nenhum engasgo.

Nos benchmarks realizados, o Grand Duos fez 3838 pontos no Quadrant. Para efeito de comparação, o Galaxy Tab 10.1 fez 2394 pontos; e o Galaxy Note I fez 4379 pontos. Já no Antutu, o Grand Duos fez 6379 pontos contra 5895 do Galaxy Tab 10.1 e 7994 pontos do Galaxy Note I. Dessa forma, podemos concluir que o Galaxy Grand tem um desempenho abaixo do Galaxy Note I, próximo do SII e acima do Tab 10.1

Quanto aos jogos, o Grand Duos deve rodar a grande maioria muito bem, incluindo os mais pesados. Talvez somente alguns poucos, como o Batman - The Dark Knight Rises fiquem com um desempenho abaixo do desejável.

Interface

Quem já mexeu em algum aparelho Samsung com Android 4.1, se sentirá familiarizado com a interface do Grand Duos. Ele está usando a última versão da TouchWiz (que foi "inaugurada" pelo Galaxy SIII) e possui as mesmas cores, ícones e opções. Até o efeito de água durante o desbloqueio da tela está lá.

E falando em tela de desbloqueio, é possível adicionar nela um relógio e até 5 atalhos para abertura de aplicativos.

Também está no Grand Duos quase todos os truques, através de gestos, que o Galaxy SIII possui. Abaixo listei os principais:
  • Ao ler um SMS, se você levar o aparelho ao rosto, ele irá automaticamente discar para o contato;
  • Na galeria, ao tocar na foto com dois dedos e aproximar ou afastar o aparelho, você controla o zoom da imagem;
  • No email, ao dar dois "tapinhas" no topo do aparelho faz rolar a tela para o início;
  • Na tela inicial, tocando e segurando o ícone e virando o aparelho para os lados permite mudá-lo para outra tela.
  • Ao virar o aparelho para baixo e colocá-lo sobre uma superfície, você ativa o modo silencioso.
Existem ainda mais alguns efeitos e prevendo que seria complicado aprender todos eles, a Samsung adicionou um tutorial dentro das configurações de movimento ensinando à usá-los.

Mas os melhores recursos que a Samsung criou e que estão disponíveis no Grand Duos são o Airbrowser, Airvideo e Multi-window.

O Airbrowser é um navegador em uma janela, que fica por cima da tela inicial ou de outros apps, que permite ser redimensionado e arrastado por toda a tela. Ele é muito útil para abrir páginas sem sair do app. Um exemplo prático é a possibilidade de abrir um link do twitter no airbrowser e enquanto carrega a página, você lê outros twits.

O Airvideo funciona da mesma forma que o Airbrowser, mas para vídeos. Durante a reprodução de um vídeo (usando o app Video Player), basta clicar  em um ícone no canto inferior direito para criar uma janela do vídeo. Ela também pode ser redimensionada e usada por cima de outros apps. E o vídeo pode inclusive ser pausado. Para voltar a ver o vídeo em tela cheia, basta clicar duas vezes no vídeo.

Já o Multi-window permite usar dois apps simultaneamente na tela do aparelho. Existe uma aba na borda da tela (que originalmente fica na região central da borda esquerda da tela, mas pode ser mudada de local) que dá acesso aos apps. Basta arrastar o ícone para a tela para abrir o primeira app. Arrastando mais um ícone, os dois apps ficam divididos na tela. É possível usar os apps na posição vertical ou horizontal, redimensionar o tamamho da janela de cada app e inverter suas posições.

Se essa aba não estiver aparecendo, basta segurar o botão "voltar" por menos de dois segundos para que ela surja. Apertar novamente o botão "voltar" por menos de dois segundos faz com que a aba desapareça novamente.
Multi-window: arraste o ícone para a tela...
... e divida-a entre dois apps!
Uma observação é que somente apps adaptados pelos desenvolvedores podem usar esse recurso. Felizmente, o domínio da Samsung no mercado mobile tem incentivado a aparecer cada vez mais apps com suporte a esse recurso. E nem preciso dizer que o Galaxy Grand, com sua tela enorme, é perfeito para o uso de dois apps simultâneos.

Dual chip

Cada fabricante encontrou uma forma diferente de implementar o suporte ao dual chip. Alguns permitem que a alternância entre chips seja feita no discador, algo que é prático e rápido, mas que impede o uso de apps de discadores de terceiros; outros colocaram ícones na tela de notificações para alternar entre os chips, que permite o uso de outros discadores, mas que não é tão prático e fácil de usar como o ícone no próprio discador. Então a Samsung resolveu esse problema simplesmente colocando os ícones para alternância de chips nos dois lugares, tanto no discador, quanto na tela de notificações! Ficou redundante, mas dá a opção ao usuário de escolher o que for mais prático para ele.

As chamadas seguem o ótimo padrão da Samsung. Na tela de configurações, existe uma opção exclusiva para configurar os dois chips. É possível selecionar qual rede de dados será usada, habilitar ou desabilitar algum dos simcards, personalizar o nome e as cores, etc.

Quanto ao modo de funcionamento, o dual chip é do tipo standby, igual a de todos os modelos lançados no Brasil até o momento. Neste modo, ambos os chips ficam ativos para realizar e receber chamadas até o uso de algum dos simcards. Se, por exemplo, você fizer uma chamada usando o chip 2, o chip 1 ficará inativo e todas as chamadas para ele entrarão em caixa postal.

Para minimizar esse problema, a Samsung implantou uma opção de dois chips simultâneos. Mas não se engane, é apenas o modo "Siga-me" da operadora que é ativado. Nesse modo, se por exemplo você estiver em uma ligação usando o chip 1 e alguém te ligar no chip 2, a ligação será direcionada ao chip 1 e você não perderá a ligação. Porém, o desvio da chamada é realizado pela operadora de telefonia e não pelo aparelho, havendo cobrança pelo tempo da ligação. É bom ficar atento à isso para não estourar a conta no final do mês.


Câmera/ Vídeo

Infelizmente o tempo que fiquei com o aparelho não deu para gerar um parecer conclusivo sobre o desempenho da câmera. Eu consegui registrar algumas fotos em ambiente fechado, mas com boa iluminação e os resultados ficaram muito bons. A interface da câmera é a mesma usada no Galaxy SIII e Note II e vi que a maioria dos recursos estavam lá. A câmera também possui auto-foco, suporte ao toque na tela para focar e um flash de led, para auxiliar na iluminação em ambientes escuros.

Quanto ao vídeo, é possível filmar em até 1080p, com suporte ao ajuste de foco por toque na tela durante a gravação.

A câmera frontal, de 1.9MP, parece ter o mesmo sensor usado no Galaxy SIII, permitindo não só a realização de vídeo chamadas, mas também tirar auto-retratos com uma qualidade razoável.

Bateria

Mais um item inconclusivo devido ao pouco tempo que fiquei com ele. O que é fato é que, durante a gravação do vídeo original para o review, que durou pouco mais de 30 minutos, ele consumiu 7% da bateria, o que dá mais ou menos 1% a cada 4m30s. Fazendo alguns cálculos, é provável que o Galaxy Grand aguente 7h30m de uso intenso (no teste, ele estava com bluetooth, wi-fi e dados ativos, a tela permaneceu acesa praticamente o tempo todo e foi rodado jogos e benchmarks). Um ótimo valor. Com uso moderado, esse valor deve subir muito mais. Assim que tiver maiores informações, eu atualizo esse tópico.

Conclusão

Apesar de ter sido lançado no começo deste ano, somente agora o Galaxy Grand começou realmente a se popularizar, principalmente em razão da queda de preço (foi lançado por 1500 reais, mas é possível encontrá-lo por 1000 ou até mesmo 900 reais). Mesmo não possuindo o mesmo hardware dos aparelhos mais avançados, o Galaxy Grand, tem um desempenho ótimo e os testes mostraram muito bem isso. E de brinde, ainda vem com uma tela enorme. Junto com o recém lançado Galaxy Win Duos, o Galaxy Grand é o melhor aparelho com dual chip que encontramos hoje no mercado brasileiro.


Agradecimentos ao amigo Fernando Fernandes que cedeu o aparelho para os testes.

2 comentários:

  1. Excelente review. Comprei meu Grand Duos, mas ainda não chegou.
    Espero não ter problema com a (falta de) memória!
    Parabéns pela matéria!

    ResponderExcluir