29/07/2012

Meus celulares - do primeiro ao atual - parte 1


Esses dias, mexendo em minhas gavetas, encontrei alguns aparelhos que não uso a muito tempo. Uns funcionam até hoje, outros "subiram o telhado". Por brincadeira, resolvi fazer a conta de quantos aparelhos já tive, o que me levou a lembrar quais foram eles, como entraram e saíram do meu cotidiano. Do Gradiente Strike ao Galaxy SII, quanta coisa mudou! Mais potência, recursos, câmera, MP3, internet... Tudo isso em troca da sua bateria (a única coisa que piorou em relação aos aparelhos antigos). Resolvi compartilhar minha lista aqui com vocês, assim como de onde vieram e pra onde foram. Como a matéria ficou muito grande, dividi em três partes. A lista completa dos aparelhos que já tive estão aqui abaixo:

  • Gradiente Strike
  • Samsung Voicer Slim
  • Samsung Clip
  • Motorola V300
  • Samsung D820
  • Motorola Z6
  • Sony Ericsson W200
  • LG Cookie
  • Nokia E63
  • Motorola Milestone
  • Samsung Galaxy SII

Gradiente Strike

Gradiente Strike: meu primeiro celular. Foto:Toca da Cotia
Meu primeiro aparelho. Usava uma linha pós paga da BCP (atual Claro) no padrão TDMA (precursor do GSM). Numa época de trambolhões como os Ultra-Tacs, o aparelho da Gradiente fabricado sob autorização da Nokia parecia ser compacto e pequeno. Hoje seria ele o trambolhão. Mas gostei muito do aparelho, que tinha uma interface amigável, principalmente comparado aos aparelhos da Motorola, era moderno e resistente. E de bônus, a frente poderia ser trocada facilmente por outra personalizada. Fiquei bastante tempo com ele, mas seu fim foi triste: ele foi roubado no viaduto do Chá, em São Paulo. O criminoso arrancou ele da minha cintura (acreditem, na época era comum andarmos com o celular pendurado na cintura!) e saiu correndo. Como eu estava com uma maleta de ferramentas, nem deu para correr atrás. E para ser sincero, nem queria mesmo, já que ele não tinha mais tanto valor. Provavelmente só o levaram porque confundiram o aparelho com o Gradiente Chrome Croma, uma sensação na época, já que eu havia colocado uma frente cromada nele.

Samsung Voicer Slim

Samsung Voicer Slim
Meu segundo aparelho. Ele foi o substituito magrinho do Samsung Voicer, que fez um relativo sucesso, já que ele gravava na memória a pronúncia dos nomes e quando você apertava um botão o aparelho te perguntava "quem você gostaria de chamar?", então você dizia o nome da pessoa e ele discava. O recurso funcionava até bem na maioria das vezes.

Esse aparelho funcionava com uma linha pré-paga com a tecnologia CDMA da Telesp Celular (atual Vivo). Tinha um visual bem diferente dos demais, com pintura dourada e jeitão refinado. Sua tela monocromática era muito bonita e diferente de tudo o que já tinha visto. Fui muito feliz com esse aparelho, até o dia em que atendi uma ligação dentro da piscina e os respingos fizeram dois botões pararem de funcionar direito. Seu fim também foi trágico, ele caiu do meu bolso ao pegar uma carona e só percebi quando cheguei em casa. Nunca mais o encontrei.


Samsung Clip

Meu terceiro aparelho foi uma disputa entre ele e o LG. Acabei ficando com ele pois achei o visual mais bacana. Ele tinha uma tela azul monocromática muito bonita, a mais legal até então. Era o primeiro que vinha com campainhas polifônicas ao invés daqueles toques simples e isso chamava muito a atenção das pessoas, que até me pediam para ver o aparelho.A parte de baixo podia ser alternada entre um molde simples, que o deixava com o formato barra, e uma tampa, que o transformava num celular flip.


Apesar de um ótimo aparelho, pouco tempo depois começaram a surgir os primeiros celulares com tela colorida. Isso me frustou um pouco, mas acabei continuando com o Clip e pulei a primeira geração das telas coloridas, que no futuro mostrou ter sido algo bom, já que a qualidade nem era lá grande coisa. Só desisti dele por causa da Telesp Celular, que tratava os usuários de pré-pago com total descaso. Em 70% das chamadas que fazia, tinha que aguardar uns 30 segundos de propaganda da empresa. Quando disse que não queria isso na minha linha, me responderam que eu não tinha escolha. Quase joguei o celular na parede, de tanto ódio que tive. Decidi então mudar de operadora, no caso para a Claro que tinha acabado de iniciar suas operações na rede GSM.  O Clip ficou esquecido numa gaveta e acabei o perdendo.

Motorola V300

Motorola V300 - meu 1º celular c/ câmera. Foto: Mobile-Review
Esse aparelho marcou muitas mudanças na minha experiência com mobilidade. Foi o meu primeiro aparelho GSM e tinha muitas novidades, como a possibilidade de usar o chip em outros aparelhos (desde que da mesma operadora, já que celular desbloqueado naquela época era sonho), além da câmera fotográfica VGA e da excelente (para a época) tela colorida. Essa tela era bem melhor que as da primeira geração de celulares com tela colorida. E de brinde, ele suportava toques em MP3, apesar do trabalho que dava para compactar a música graças a sua escassa memória.

O V300 também era um dos primeiros a usar a nova interface da Motorola, que na época era conhecida por oferecer menus e comandos complicados e interface pouco amigável. Mas o V300 mantinha uma fama da Motorola que eu ainda desconhecia, a escassez da bateria depois de pouco tempo de uso. Nas primeiras semanas, a bateria durava muitas horas de conversação. Mas essa capacidade ia caindo com o tempo até chegar ao ponto de você carregar completamente o celular, tirá-lo da tomada e nesse momento sumir um traço da bateria. Quando estava pra comprar uma segunda bateria, ele foi roubado durante uma viagem à praia, junto com vários outros gadgets, como meu palm Zire 72 e uma filmadora Samsung que havia comprado à apenas 3 dias.

O visor colorido e a qualidade da tela na época eram as  estrelas desse aparelho
Esse foi meu primeiro "lote" de celulares. Nem imaginava que um dia através deles acessaria a Internet, usaria programas como Office, publicaria fotos nas redes sociais, mandaria emails... Mas isso fica pra próxima parte! Um abraço à todos e até breve!




11 comentários:

  1. Nossa, que delicia de site. muito bom.
    Cara, Gradiente Chroma era esse, nao era? https://www.google.com.br/#hl=pt-BR&safe=off&sa=X&ei=nOsfULSeAoLl6QGGtIDQAg&ved=0CGkQvwUoAQ&q=celular+gradiente+chroma&spell=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=cc3d10a884eaa97c&biw=1280&bih=629
    o aparelho era lindo e carissimo.
    por que a Nokia deixava a Gradiente fabricar aparelhos identicos aos dela? esse chroma era o Nokia 8860

    Marcos Tony

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era esse mesmo. Um amigo meu tinha um e era um dos mais bonitos de sua época, graças ao visual e tamanho compacto. Quando roubaram meu pobre strike, tenho certeza que o confundiram com um croma... Quanto ao fato dos aparelhos da Gradiente serem identicos aos da Nokia, isso aconteceu porque elas firmaram uma parceria entre 1997 e 2000, se não me falha a memória, onde elas compartilhavam a mesma fábrica e a Gradiente recebeu uma licença para fabricar os aparelhos da Nokia, mas utilizando sua própria marca. Após o fim da parceria, a Gradiente passou a licenciar modelos de outras empresas lá de fora. Um abraço.

      Excluir
  2. Ah ta...
    Acho que a parceria durou mais porque voce lembra do 8265 que foi lançado depois do 8260? a gradiente tinha uma versao que acho que se chamava neo. ela teve seu neo do 8260 e 8265

    Marcos tony

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, mas não lembro se era o 8260 ou 8660... Mas me lembro bem do Neo, pois sabe o amigo que citei no comentário anterior e que tinha um Croma? Pois bem, esse aparelho tinha garantia vitalícia (!) e o do meu amigo deu problema. Só que eles já não fabricavam mais o Croma e trocaram por um Neo. Tá certo que era novo, mas o Neo não chegava nem perto em aparência comparado ao Croma...

      Excluir
  3. Era Nokia 8260 e depois 8265.
    https://www.google.com.br/#hl=pt-BR&safe=off&output=search&sclient=psy-ab&q=nokia+8260&oq=nokia+8260&gs_l=hp.3..0l2j0i30l2.1523.3723.0.4452.10.9.0.1.1.1.276.2128.2-9.9.0...0.0...1c.e10wjJfgjZI&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=264cd959fb21389c&biw=1280&bih=629

    https://www.google.com.br/#hl=pt-BR&safe=off&biw=1280&bih=629&sclient=psy-ab&q=nokia+8265&oq=nokia+8265&gs_l=hp.3..0l3j0i30.1176.2963.0.3171.10.9.0.1.1.1.394.1981.0j1j6j1.8.0...0.0...1c.BB3KiZhEkzc&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=264cd959fb21389c

    A Gradiente fabricou sua versao deles e eram idênticos até no menu, so tinha uma coisa no menu que o Gradiente nao tinha e acho que era um menu proprio para Nokias e ele, óbvio, vinha capado disso porque levava a marca da Gradiente.

    Li que a marca [nome] Gradiente foi vendido e voltou.
    http://revistahometheater.uol.com.br/site/tec_noticias_02.php?id_lista_txt=7997

    Sobre o Chroma [e Nokia 8860, que eram a mesma coisa so mudando nome e marca] foi o celular mais lindo que ja vi. Engraçado, naquela época [99] os celulares baratos eram enormes, tinham antenas externas e ele foi o divisor de água, rumo à reduçao de tamanho e eliminaçao de antena externa. Hoje o que se vê sao os aparelhos crescendo mais e mais, fazendo os smartphones serem maiores do que os 'tijoloes' daquela época [exceto pela antena]. Acho que o povo vai se cansar dessa moda e eles voltam a diminuir e quem pode tomar o lugar dos smartphones seriam os tablets, que se tornariam menores e mais portateis.

    No YT voce falou nas mulheres com suas bolsas mas algumas costumam sair com acessórios diminutos, onde mal cabe batom e espelho. Tablet? Nem pensar, nem um Galaxy SII caberia. Pra homem, ir pra balada com o Note deve ser complicado, fora o risco de roubo, assalto.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho difícil as pessoas voltarem para os celulares pequenos por causa de um só motivo: a tela. Um celular pequeno não tem como possuir uma tela grande e isso acaba causando o desinteresse da maioria das pessoas, que quer uma tela que comporte muitas informações. Eu me lembro do Motorola V3690, que era um dos menores do mundo em sua época, senão o menor, mas tinha uma tela pequena e monocromática. Já em seguida saiu o Samsung Colors, que tinha uma tela pequena também, mas colorida. depois disso, as telas começaram a crescer aos poucos e os celulares tambem. Lembro que dizia aos amigos que a partir daquele momento as telas só iriam crescer e osmcelulares pequenos se tornariam cada vez mais raros...

    Quanto as bolsas, a maioria das mulheres que conheço levam bolsas que cabem muitas, muitas coisas! E acredite, cada vez mais mulheres estão carregando tablets nelas. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. é, talvez tenha razao nisso

    Marcos

    ResponderExcluir
  6. e a parte 3 dos seus celulares?

    Marcos

    ResponderExcluir
  7. Marcos,eu estou no meio do fim da última parte...rs. Mas até o sábado eu finalizo! Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Que legal,cara.Meu primeiro celular foi um samsung voicer slim e tenho boas lembraças dele

    ResponderExcluir